Editor: Henrique Magalhães
Rua Maria Elizabeth, 87/407
João Pessoa, PB. 58045-180
Brasil
Tel: (83) 8885.1211

Pedidos por transferência ou depósito bancário:
Banco do Brasil
Agência 1619-5
Conta 41626-6.

O preço das publicações já inclui a postagem como carta simples.

Envie por e-mail o número da agência onde for feito o depósito, seu pedido  e o endereço para entrega.

Contato
editora@marcadefantasia.com
www.marcadefantasia.com











Sócrates recorta jornais, Crátilo desenha palavras: o nome das coisas no jornal impresso

Sócrates recorta jornais, Crátilo desenha palavras: o nome das coisas no jornal impresso
Wellington Pereira (org)
Série Veredas, 21.
João Pessoa: Marca de Fantasia/Grupecj, 2010. 119p. E-book em pdf grátis, sob demanda.
ISBN 978-85-7999-019-9.

Jornalismo e cotidiano como pauta de pesquisa

A tradição de pesquisa acadêmica sobre jornalismo e cotidiano, que o GRUPECJ vem construindo nesses últimos oito anos, já ganhou repercussão nacional, prêmios (Itaú Cultural, em 2007 e Prêmio Luiz Beltrão de Comunicação, do INTERCOM, em 2008) e uma considerável série de 06 obras, nas quais circulam os resultados desse instigante empreendimento científico.

Inserido nas atividades do Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGC/UFPB) desde o início do Mestrado em 2008, esse Grupo de Pesquisa, coordenado pelo professor Wellington Pereira, contribui de forma significativa com o fortalecimento da Linha de Pesquisa Mídia e Cotidiano e fomenta o surgimento de pesquisadores na área de Comunicação.

Os artigos constitutivos das seis obras já publicadas no período demonstram uma clara tendência de buscar apoio na fenomenologia para melhor compreender praticas jornalísticas em sua permanente produção de sentido.

A partir de uma vertente sociológica da fenomenologia, os pesquisadores do GRUPECJ, nesta edição, se debruçam sobre os objetos do cotidiano retratados nas matérias e reportagens dos jornais impressos de João Pessoa. Nesse sentido, a fenomenologia, compreendida como uma proposta que visa ir além das pressuposições básicas ao questionar a própria ideia de conhecimento, serve, aqui, de pressuposto para reconhecer os objetos na forma através das quais eles nos aparecem, representados no noticiário da imprensa pessoense.

As pesquisas do GRUPECJ têm a importante função de integrar alunos de graduação e pós-graduação aos estudos contemplados pelo Mestrado em Comunicação da UFPB, subsidiando as discussões científicas que transpõem o PPGC para o contexto das análises que se fazem hoje na área de Comunicação em âmbito nacional.

Com a produção das obras, agora na condição de e-book, permite-se uma circulação muito mais ampla dessas pesquisas do GRUPECJ, assegurando-lhe um acesso efetivo e permanente, uma vez que a obra estará disponibilizada na Web, para consulta dos interessados, a qualquer hora do dia ou da noite.

No momento em que o jornalismo impresso vive a sua crise de readaptação de suas práticas midiáticas, diante da multiplicidade de mídias digitais que proliferam na Internet, as pesquisas coordenadas pelo prof. Wellington Pereira revelam as características intrínsecas à imprensa, que demonstram porque ela se manterá viva, cumprindo um papel primordial: resgatar o cotidiano da vida em comum, para mantê-lo em pauta no contexto da atualidade midiática.

Marcos Nicolau

   Mais obras sobre Comunicação pela Marca de Fantasia
Diário de um zappeur
Wellington Pereira
2006. 86p. 13x19cm.
Artigos sobre a linguagem televisual do Brasil dos anos 1980.
O príncipe lê jornais: cotidiano e poder no jornalismo impresso
Wellington Pereira (org)
2008. 100p. 13x19cm.
Artigos sobre mídia e cotidiano.
O Sertão é coisa de cinema
Matheus Andrade
2008. 76p. 13x19cm.
A representação do Sertão nordestino no cinema brasileiro.
Polarizações do jornalismo cultural
Marina Magalhães
2008. 80p. 13x19cm.
Ensaio sobre jornalismo cultural.
As formas do humano no discurso do jornal
Wellington Pereira (org)
2009. 174p. 13x19cm.
A representação do corpo no jornalismo diário.




 INDEX  EDITORIAL  ÁLBUNS  LIVROS  REVISTAS  CAMARADAS