Editor: Henrique Magalhães
Rua Maria Elizabeth, 87/407
João Pessoa, PB. 58045-180
Brasil
Tel: (83) 8885.1211

Pedidos por transferência ou depósito bancário:
Banco do Brasil
Agência 1619-5
Conta 41626-6.

O preço das publicações já inclui a postagem como carta simples.

Envie por e-mail o número da agência onde for feito o depósito, seu pedido  e o endereço para entrega.

Contato
editora@marcadefantasia.com
www.marcadefantasia.com











O príncipe lê jornais: cotidiano e poder
no jornalismo impresso

O príncipe lê jornais: cotidiano e poder no jornalismo impresso
Wellington Pereira (org)
Série Veredas, 4.
João Pessoa: Marca de Fantasia, 2008. 100p. 13x19cm. R$14,00.
ISBN 978-85-87018-79-3

Quatro livros publicados em cinco anos. Isto é pouco? Considerando os padrões europeus e norte-americanos para as pesquisas no campo jornalístico, sim. Este é o resultado da produção científica do Grupecj - Grupo de Pesquisa sobre o Cotidiano e o Jornalismo do Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal da Paraíba, Campus I - João Pessoa.

Ao somarmos as dificuldades materiais à falta de interesse da maioria de nossos administradores universitários em financiar a publicação de pesquisas, mesmo dispondo de editoras “universitárias”, podemos afirmar que: pesquisadores que conseguem publicar seus estudos são exceções, mas deveriam ser regras.

Nesses cinco anos de existência, o Grupecj publicou a maioria de seus trabalhos - um esforço coletivo que nos faz pensar na situação excepcional alcançada por todos os membros do grupo. Mas, apesar do esforço, assistimos à figuração tênue e frágil que representa a relação entre os cursos de graduação e a formação de novos pesquisadores.

Em nosso país, as pesquisas são pensadas para além da vida cotidiana: ora próximas ao mercado industrial, ora mistificadas pelo pacto diabólico do Fausto, imortalizado na obra de Goethe.

Dificilmente, pensamos sobre os saberes locais e suas configurações de ordem estético-social. Por isso, os atores das Ciências Humanas, enquanto professores e alunos, são discriminados em suas instituições ante os magníficos efeitos de ciências distantes do cotidiano, propriedades de poucos demiurgos.

Então, haveria sentido pesquisar as relações que o Jornalismo (enquanto produtor, intérprete e difusor de saberes) mantém com a vida cotidiana? Sim! E este é o nosso esforço.

Pertencendo a um modelo de instituição de ensino superior limitada a poderes circunstanciais, fortalecida pelo medo de ser inteligente, haja vista a intelligentsia preferir se esconder na arrogância burocrática, fragilizando os súditos e os príncipes, seria mais fácil desanimar, não pedir ajuda para publicar pesquisas: algo “estranho” aos padrões das editoras universitárias.

Os ensaios que passamos aos leitores são frutos das idéias dos pesquisadores do Grupecj, cuja resistência contra os “lambe-cus-universitários”, para usar uma expressão usada por Weber contra a burocratização das idéias, materializa-se na percepção de como o jornal impresso pode nos ajudar a pensar as relações entre o espaço público, a midiosfera e a política.

O importante é que o leitor tem em mãos o quarto livro (em cinco anos) do Grupecj sobre o poder e o cotidiano nos jornais de João Pessoa, capital da Paraíba. E, ao ler estes parágrafos pode constatar que o nosso protesto surtiu efeito: a publicação do livro.

Wellington Pereira

   Mais obras sobre comunicação pela Marca de Fantasia
Diário de um zappeur
Wellington Pereira
2006. 86p. 13x19cm.
Artigos sobre a linguagem televisual do Brasil dos anos 1980.
O documentário paraibano no cinema brasileiro
Lúcio Vilar & Cecília Porto (orgs)
2007. 52p. 13x19cm.
Textos sobre Aruanda, filme paraibano deflagrador do Cinema Novo.
O Sertão é coisa de cinema
Matheus Andrade
2008. 76p. 13x19cm.
A representação do Sertão nordestino no cinema brasileiro.
A formas do humano no discurso do jornal
Wellington Pereira (org)
2009. 174p. 13x19cm.
A representação do corpo no jornalismo diário.
Blogs: cultura convergente e participativa
Ricardo Oliveira
2010. 80p. 13x19cm.
A inovação da mídia digital de forma colaborativa e convivial.




 INDEX  EDITORIAL  ÁLBUNS  LIVROS  REVISTAS  CAMARADAS