Editor: Henrique Magalhães
Rua Maria Elizabeth, 87/407
João Pessoa, PB. 58045-180
Brasil
Tel: (83) 998.499.672

Pedidos por transferência ou depósito bancário:
Banco do Brasil
Agência 1619-5
Conta 41626-6.

Envie por e-mail cópia do comprovante de depósito e o endereço para entrega.

Contato
marcadefantasia@gmail.com
www.marcadefantasia.com

Discurso, poder e subjetivação:
uma discussão foucaultiana

Discurso, poder e subjetivação: uma discussão foucaultiana
JJ Domingos
Série Veredas, 11.
João Pessoa: Marca de Fantasia, 2009. 100p. Preço na rubrica Livros
ISBN 978-85-87018-98-4

Série Veredas, 11. 3a. edição.
2015. 89p. Edição digital: baixe aqui

Se fôssemos eleger o termo que melhor sintetiza as noções de história, sujeito, discurso e poder dentro de uma perspectiva foucaultiana, seguramente este termo seria Dispersão. O pensamento de que estes conceitos não são mais "o lugar do repouso, da certeza, da reconciliação, do sono tranquilizador", e sim categorias constituídas eminentemente por lutas e batalhas discursivas é a espinha dorsal da obra de Michel Foucault. Neste livro, tomamos a produção do francês a partir da História da sexualidade para perceber como, de forma descontínua, a história do Ocidente produziu discursos que têm servido de âncora para a criação de diferentes subjetividades baseadas na sexualidade. Dentre tais subjetividades, aquelas circunscritas longe dos padrões heteronormativos serão aqui nosso objeto.

Este livro é uma parte da minha dissertação de mestrado defendida no Programa de Pós- Graduação em Linguística – PROLING – da Universidade Federal da Paraíba. A ideia da pesquisa se torna concreta dentro das articulações da Linguística com outras áreas do saber e da linguagem com a história. Para tanto, tomou-se o discurso – enquanto instrumento que sustenta práticas - como objeto mediador entre a sistematicidade e as representações sociais da linguagem. Foucault, especialmente em A arqueologia do saber (2008), teorizando sobre a linguagem e o discurso vinculou este último aos processos históricos exteriores à língua. Enquanto conjunto de enunciados, o discurso, neste sentido, não repousaria numa aparente clarividência dos sentidos; estaria além de um jogo de signos linguísticos. Esta direção de pensamento sobre o discurso e a linguagem orientou toda a pesquisa.

A partir desta perspectiva, o objeto de estudo da pesquisa foram os modos de subjetivação discursivisados em perfis de homoafetivos, que se denominam ursos , filiados a sites de relacionamento dirigidos a este grupo. Atentando para o significado e a relevância desse material para os estudos da linguagem, ao mesmo foi dado um enfoque sócio-histórico de cunho qualitativo, a fim de se privilegiar a compreensão e a interpretação do objeto. Por tratar-se de um objeto (no caso, o discurso dos ursos) inscrito em condições sócio-históricas específicas, viu-se a necessidade de focalizá-lo teoricamente considerando a relação entre a linguagem e a história. (...)

JJ. Domingos

  Mais obras sobre Linguagem do Discurso pela Marca de Fantasia
O discurso dos ursos: outros modos de ser da homoafetividade
JJ. Domingos
Estudo sobre o "urso"
no universo da homossexualidade.
Linguagem e discurso na constituição do sujeito
JJ. Domingos
Reflexões sobre a problemática do sujeito em sua relação com o discurso e a linguagem.
Práticas discursivas contemporâneas: corpo, memória e subjetividade
JJ. Domingos e outros.
Artigos com base na Análise do Discurso sobre vários aspectos culturais.
Práticas discursivas contemporâneas 2: corpo, identidade e mídia
JJ. Domingos e outros.
Artigos com base na Análise do Discurso sobre vários aspectos culturais.
Estudos do Discurso: diálogos entre Nietzsche e Foucault
Nilton Milanez (org)
Reflexão sobre a aproximação da obra dos dois filósofos.