Editor: Henrique Magalhães
Rua Maria Elizabeth, 87/407
João Pessoa, PB. 58045-180
Brasil
Tel: (83) 8885.1211

Pedidos por transferência ou depósito bancário:
Banco do Brasil
Agência 1619-5
Conta 41626-6.

O preço das publicações já inclui a postagem como carta simples.

Envie por e-mail o número da agência onde for feito o depósito, seu pedido  e o endereço para entrega.

Contato
editora@marcadefantasia.com
www.marcadefantasia.com











Diário de um zappeur: TV, insônia e vida cotidiana

Diário de um zappeur: TV, insônia e vida cotidiana
Wellington Pereira
Série Veredas nº 1.
João Pessoa: Marca de Fantasia, 2006. 86p. 13x19cm. R$13,00.
ISBN 85-87018-60-4

O novo livro do professor e jornalista Wellington Pereira reúne ensaios sobre os programas da TV brasileira da década de 80. Diário de um Zappeur: TV, insônia e vida cotidiana - procura recuperar arquétipos e mitos construídos em torno de programas como Chacrinha, as transmissões futebolísticas e o programa de Hebe Camargo.

No título do livro se esboça a dicotomia entre dois modelos estéticos de observação social: o flâneur e o zappeur. Se aquele representa a observação desinteressada dos fenômenos da modernidade; este se configura como o observador solitário de uma viagem aos arredores do aparelho de TV (parodiando Xavier de Maistre, Voyage autour de ma chambre).

Wellington Pereira tem se dedicado sobre mídia e cotidiano e, neste livro, amplia suas ferramentas teóricas para buscar na estocagem midiática figuras como Reginaldo Rossi, que na década de 1980 preenchia as telas de TV com um gestual que lembra os movimentos estéticos de Elvis Presley e o ritmo da canção brega.

O objetivo do livro é mostrar estas relações intersubjetivas entre os modelos de observação dos fatos sociais (o flâneur e o zappeur, aquele que fica trocando de canal o tempo todo), a estética dos fatos cotidianos representada nos programas de TV.

Por que ler este livro? Os ensaios, com bom humor, contam a historia das narrativas televisuais contemporâneas no Brasil, mostrando, com base na Sociologia Compreensiva, que o Zappeur, mesmo fugindo da linearidade da programação das TVs, guarda em sua memória aspectos importantes do nosso imaginário social, tendo a insônia como uma atitude sociocultural.

O autor

Wellington Pereira é graduado em Jornalismo, Mestre em Literatura Brasileira pela UFPB e doutor em Sociologia pela Universidade Paris V. Docente do Departamento de comunicação e do Programa de Pós-Graduação em Sociologia (UFPB), Wellington coordena o Grupecj - Grupo de Pesquisa sobre o Cotidiano e o Jornalismo, desde 2002.

Além de Diário de um zappeur, Wellington Pereira publicou os seguintes livros: As possibilidades do Róseo (ficção), Crônica: arte do útil e do fútil - ensaio sobre a crônica no jornalismo impresso; Chanel 19: historias no feminino (ficção), O beijo da noiva mecânica - ensaios sobre mídia e cotidiano; Vovó nos protege? - histórias infantis para gente grande (ficção), O trabalho de Sísifo - jornalismo e vida cotidiana (livro do Grupecj), Leituras do Cotidiano (livro do Grupecj).

H. Magalhães

   Mais obras sobre jornalismo pela Marca de Fantasia
O príncipe lê jornais: cotidiano e poder no jornalismo impresso
Wellington Pereira (org)
2008. 100p. 13x19cm.
Artigos sobre mídia e cotidiano.
Polarizações do jornalismo cultural
Marina Magalhães
2008. 80p. 13x19cm.
Ensaio sobre jornalismo cultural.
A formas do humano no discurso do jornal
Wellington Pereira (org)
2009. 174p. 13x19cm.
A representação do corpo no jornalismo diário.
Sócrates recorta jornais, Crátilo desenha palavras: o nome das coisas no jornal impresso
Wellington Pereira (org)
João Pessoa: Marca de Fantasia/Grupecj, 2010. 119p. Ebook em pdf grátis, sob demanda.
Crossmídia e Transmídia no Jornalismo: convergência, memória e hipermídia no Globo Esporte
Allysson Viana Martins
2011. 151p. Ebook em pdf grátis, sob demanda.




 INDEX  EDITORIAL  ÁLBUNS  LIVROS  REVISTAS  CAMARADAS