Editor: Henrique Magalhães
Rua Maria Elizabeth, 87/407
João Pessoa, PB. 58045-180
Brasil
Tel: (83) 8885.1211

Pedidos por transferência ou depósito bancário:
Banco do Brasil
Agência 1619-5
Conta 41626-6.

O preço das publicações já inclui a postagem como carta simples.

Envie por e-mail o número da agência onde for feito o depósito, seu pedido  e o endereço para entrega.

Contato
editora@marcadefantasia.com
www.marcadefantasia.com











Caligari: do cinema aos quadrinhos

Caligari: do cinema aos quadrinhos
Gian Danton
Série Veredas, 19.
João Pessoa: Marca de Fantasia, 2010. 44p. Ebook em pdf grátis, sob demanda.
ISBN 978-85-7999-016-8

Em 1920, na Alemanha, um filme alcançou o prestígio de ser um dos mais importantes da história mundial e, sem dúvida, o mais influente do cinema alemão. Trata-se de O Gabinete do Dr. Caligari, dirigido por Robert Wiene e escrito por Hans Janowitz e Carl Mayer. Sua influência foi tão grande que cunhou-se o neologismo caligarismo para se referir ao cinema expressionista alemão.

Alguns dos méritos desse filme foram a utilização de cenários pintados representando um clima sufocante de um estranho ambiente urbano e a história repleta de flash back, com final surpreendente. Estes elementos inovadores para a época mostraram que o cinema poderia ir muito além de uma simples diversão popular, abrindo caminho para sua ascensão à sétima arte.

Em Caligari: do cinema aos quadrinhos, o roteirista Gian Danton (Ivan Carlo Andrade de Oliveira) analisa o filme desde a elaboração do roteiro à sua influência para o cinema mundial e em especial para o cinema alemão. Aborda também questões polêmicas, como a moldura introduzida no roteiro por Fritz Lang, e os cenários pintados com a técnica expressionista, que permitiu à película mostrar uma realidade mental, absolutamente revolucionária para a época.

Em complemento ao estudo, Gian Danton apresenta a adaptação do filme para os quadrinhos, trabalho realizado em parceria com o desenhista curitibano José Aguiar. O processo criativo da adaptação também é analisado, o que transforma o livro numa peça didática, mas com a leveza de quem é um reconhecido e premiado roteirista de quadrinhos.

Caligari, do cinema os quadrinhos, é uma obra essencial tanto para os fãs de cinema quanto os de quadrinhos. 

H. Magalhães (sobre texto de Gian Danton)

   Mais ensaios da série Veredas pela Marca de Fantasia
O riso que liberta: ou as origens da caricatura
Wellington Srbek
2007. 112p. 13x19cm.
A força demolidora do humor por meio das expressões gráficas.
Zé Ramalho: o profeta do Terceiro Milênio
Isaac Soares de Souza
2008. 88p. 13x19cm.
Biografia cantor e compositor paraibano por um de seus ardorosos fãs.
Blogs: cultura convergente e participativa
Ricardo Oliveira
2010. 80p. 13x19cm.
A inovação da mídia digital de forma colaborativa e convivial.
O Sertão é coisa de cinema
Matheus Andrade
2008. 76p. 13x19cm.
A representação do Sertão nordestino no cinema brasileiro.
O documentário paraibano no cinema brasileiro
Lúcio Vilar & Cecília Porto (orgs)
2007. 52p. 13x19cm.
Textos sobre Aruanda, filme paraibano deflagrador do Cinema Novo.




 INDEX  EDITORIAL  ÁLBUNS  LIVROS  REVISTAS  CAMARADAS