Editor: Henrique Magalhães
Rua Maria Elizabeth, 87/407
João Pessoa, PB. 58045-180
Brasil
Tel: (83) 8885.1211

Pedidos por transferência ou depósito bancário:
Banco do Brasil
Agência 1619-5
Conta 41626-6.

O preço das publicações já inclui a postagem como carta simples.

Envie por e-mail o número da agência onde for feito o depósito, seu pedido  e o endereço para entrega.

Contato
editora@marcadefantasia.com
www.marcadefantasia.com











Tensões políticas e culturais em Rê Bordosa

Tensões políticas e culturais em Rê Bordosa
Yuri Saladino
Série Quiosque, 26.
João Pessoa: Marca de Fantasia, 2011. 119p. Ebook em pdf. R$5,00.
978-85-7999-028-1
Amostra

O trabalho de Angeli tem suscitado inúmeras investigações acadêmicas, o que confirma a importância de sua criação. Autor de incontáveis e marcantes personagens das tiras humorísticas brasileiras, foi com Rê Bordosa que Angeli criou um vínculo indissociável com seu público, a ponto de, mesmo tendo matado a personagem, ter que retomá-la, numa espécie de memorial ou diário.

O livro de Yuri Saladino, oriundo de sua dissertação de Mestrado, debruça-se sobre a obra de Angeli para estudar a construção artístico-cultural expressa nas histórias em quadrinhos de Rê Bordosa e, por meio delas, refletir sobre o projeto político e cultural do autor. Rê Bordosa surgiu em 4 de abril de 1984 na série de tiras em quadrinhos Chiclete com Banana, do jornal Folha de S. Paulo, tendo como cenário o universo urbano paulistano da década de 1980.

Para Yuri, a personagem é uma sátira sobre o gênero feminino pós-Revolução Sexual, que tinha como pano de fundo um ambiente social bastante efervescente em termos sócio-culturais. O universo “angeliano” do qual Rê Bordosa faz parte reflete sobre esse período, quando o debate entre a modernidade e a pós-modernidade estava na ordem do dia.

Yuri reforça que o cotidiano no qual a personagem se insere é marcado pela crise dos valores modernos e pela fragmentação das identidades culturais que refletia o deslocamento do sujeito moderno e a valorização do momento presente e do hedonismo. Nesse sentido, o estudo reflete em que medida e por qual direcionamento esta personagem, enquanto construção artístico-cultural, representou uma crítica social frente ao contexto dos anos 1980 no Brasil.

Como afirma o autor, a pesquisa discute o caráter crítico do projeto artístico de Angeli, bem como situa Rê Bordosa a partir dos seus diálogos, seu comportamento e seu modo de vida: “Procuraremos analisar a personagem Rê Bordosa como sendo uma problematização sobre esse contexto social e suas tensões culturais”, conclui Yuri.

H. Magalhães

   Mais ensaios da série Quiosque pela Marca de Fantasia
O rebuliço apaixonante dos fanzines
Henrique Magalhães
2011. 165p. Ebook em pdf.
A trajetória dos fanzine no Brasil.
Amostra
História em Quadrinhos: essa desconhecida arte popular
Thierry Groensteen
2004. 50p. 12x18cm.
O autor propõe uma pedagogia para os quadrinhos.
Fanzine
Edgard Guimarães
2005. 64p. 12x18cm.
Um dos mais atuantes editores independentes do país expõe o processo de criação dos fanzines.
História em Quadrinhos e Arquitetura
Edgar Franco
2a. ed. 2012. 90p. Ebook em pdf.
Ensaio que trata da interseção dessas duas artes.
Miracleman: um outro mito ariano
Márcio Salerno
2004. 64p. 12x18cm.
Análise sobre o personagem baseada nos conceitos de Nietzsche.




 INDEX  EDITORIAL  ÁLBUNS  LIVROS  REVISTAS  CAMARADAS