Editor: Henrique Magalhães
Rua Maria Elizabeth, 87/407
João Pessoa, PB. 58045-180
Brasil
Tel: (83) 8885.1211

Pedidos por transferência ou depósito bancário:
Banco do Brasil
Agência 1619-5
Conta 41626-6.

Envie por e-mail cópia do comprovante de depósito e o endereço para entrega.

Contato
marcadefantasia@gmail.com
www.marcadefantasia.com

Edgar Franco e suas criaturas no Banquete de Platão
Edgar Franco e suas criaturas no Banquete de Platão
Nadja Carvalho
Série Quadrinhos Poético-filosóficos, 2, 2a. ed.
João Pessoa: Marca de Fantasia, 2012. 68p. 14x20cm. R$16,00.
ISBN 978-85-7999-049-6

Eros sempre retorna

Escrever qualquer coisa sobre Edgar Franco é sempre um grande desafio, mas daqueles em que a gente se entrega com prazer. O trabalho monumental de Edgar como que nos coloca na berlinda, diante do quase inevitável risco de dizer algo absolutamente irrelevante ou de ser redundante frente a sua obra. A professora Nadja Carvalho se propôs a esse desafio e conseguiu suplantar com desenvoltura esses dois caminhos óbvios e fáceis.

No ensaio Edgar Franco e suas criaturas no Banquete de Platão Nadja aborda o universo mítico, poético e filosófico do autor por intermédio do mito Eros, que perpassa suas criaturas por vezes enigmáticas, por vezes surreais. Edgar trabalha com o corpo erotizado em suas plurais dimensões, trazendo à baila o eterno desejo de procriação e perpetuação da espécie, ainda que hibridizada com elementos cibernéticos.

Diante de tantas leituras suscitadas pelos desenhos de Edgar Franco, Nadja optou por focalizar a presença do mito Eros, o que lhe possibilitou visualizar a procriação “pós-humana” – com referência ao universo conceitual do autor – na concepção artística de seus trabalhos. O mito Eros, segundo Nadja, alcança a todos nós, sejam amantes ou estudiosos dos quadrinhos: “Eros tem marcado a nossa existência nas artes, nos espaços do imaginário, da psicanálise, da comunicação etc.”

O arquiteto, designer, músico e quadrinista Edgar Franco desenvolveu uma obra calcada no que chamou Aurora Pós-humana, em que projeta o futuro da humanidade como um grande laboratório de engenharia genética. Mas isso é só uma base para tratar de temas universais, como o amor, o desejo de perpetuidade, a androginia e a superação do conceito de raça e espécie, por intermédio da transgenia. Seu trabalho autoral, baseado em sólida pesquisa acadêmica, se destaca não só nos quadrinhos impressos, envereda também pelas experimentações do que cunhou como HQtrônicas – ou Histórias em Quadrinhos Eletrônicas –, bem como pela música eletrônica, com suas composições ligadas ao projeto Posthuman Tantra.

Num ensaio criativo e inusitado, Nadja percorre de forma transversal a obra de Edgar Franco, dando ênfase ao aspecto gráfico, para nos mostrar seu princípio lúdico e ao mesmo tempo erótico. Seja no contexto humano ou mesmo no “pós-humano”, como realçado no universo do autor, Eros sempre retorna, numa incontornável celebração à vida.

H. Magalhães

  Mais quadrinhos poético-filosóficos pela Marca de Fantasia
Os quadrinhos poético-filosóficos de Edgar Franco: textos, HQs e entrevistas
Elydio dos Santos Neto
Análise da obra de Edgar Franco.
Os quadrinhos poético-filosóficos de Gazy Andraus: 25 anos de quadrinhos e fanzinato
Elydio dos Santos Neto
Análise e amostra da obra de Gazy Andraus.
A semântica poética do hipocampo
Matheus Moura
Análise sobre a obra de Antônio Amaral.
Artlectos e Pós-humanos 8
Edgar Franco.
Histórias em quadrinhos com o universo poético e filosófico do autor.
Tiras livres: um novo gênero dos quadrinhos
Paulo Ramos
Ensaio sobre as transformações das tiras brasileiras.
 
  INDEX   EDITORIAL   ÁLBUNS   LIVROS   REVISTAS   CAMARADAS